Menu Toggle

Bem-vindo ao Fórum Vodafone

Yorn

A incrivel "resposta" da Vodafone às exigências do regulador

Novo Utilizador
"Informamos que em cumprimento da deliberacao da ANACOM sobre Neutralidade de Rede a Vodafone tera de alterar as condicoes do teu tarifario. A partir de 18/09 , sempre que tiveres esgotado o pacote de dados incluido no teu tarifario ou na tarifa de internet extra, o acesso as Apps Gratuitas, incluindo YouTube e Twitch, sera automaticamente bloqueado. Poderas voltar a aceder as Apps Gratuitas quando tiveres dados disponiveis no pacote incluido no teu tarifario ou na tarifa de internet extra. Mais info em vfpt.pt/nnyorn"

Basicamente continuam a favorecer determinados provedores de conteúdos (incluidos nas Apps Gratuitas), alterando apenas que esse favorecimento estará ativo apenas enquanto o cliente tiver plafond de dados gerais disponivel.

A alteração anunciada em nada muda a violaçāo das normas, apenas prejudica o consumidor!

Ao invés de acabarem com o favorecimento a determinados provedores e compensarem os clientes com planos gerais de dados substancialmente maiores, aliás, como a própria ANACOM o recomendou, aproveitam-se da situaçao para simplesmente reduzir a sua oferta continuando com a mesma violação das normas!

Wow!
Mostrar mais
15 RESPOSTAS 15
Moderador

Olá @rbmaster

 

A deliberação da ANACOM obriga a Vodafone a que sempre que não tiveres dados disponíveis no pacote principal do teu tarifário, ou caso não tenha sido ativado a tarifa extra de internet, o acesso às Apps incluídas no plano será automaticamente bloqueado, independentemente ainda ter o pacote disponível para as utilizares. Poderás voltar a aceder a estas quando voltares a ter acesso aos dados do plafond principal ou caso tenhas saldo para ser ativada a tarifa extra.

 

Obrigado

JoãoR_Vodafone

Mostrar mais
Novo Utilizador
Não foi essa a deliberação da ANACOM. A deliberaçao foi para os operadores acabarem com a segmentação de trafego, acabando com o favorecimento a certos provedores e recomendarem igualmente aumentar as atuais ofertas de plafond de dados.

Porque continuam a insistir que preveligiar Facebook, Twitter, etc., não viola a neutralidade da rede?

Se eu sou detentor duma rede social concorrente porque têm os meus possiveis clientes estarem a ser instigados pelos operadores a usarem outra rede social?
Mostrar mais
Highlighted
Ultra Sábio

A decisão não é pela neutralidade da rede mas sim pelo zero rating.

Agora quando ficas sem net não podes aceder a nenhuma app gratuita, isso é que era a parte "injusta" que favorecia as apps que estavam incluidas.

Mostrar mais
Novo Utilizador
Continua a haver zero rating enquanto existir plafond geral, ou seja, essas apps continuam a ser preveligiadas, instigando possiveis clientes de outras alternativas a usarem essa seleção.

Não respeita claramente as normas de neutralidade na rede impostas pela UE.
Mostrar mais
Ultra Sábio

Respeita sim.

Retirado das guidelines do BEREC.

 

40. There is a specific commercial practice called zero-rating. This is where an ISP applies a price of zero to the data traffic associated with a particular application or category of applications (and the data does not count towards any data cap in place on the IAS). There are different types of zero-rating practices which could have different effects on end-users and the open internet, and hence on the end-user rights protected under the Regulation.

 

41. A zero-rating offer where all applications are blocked (or slowed down) once the data cap is reached except for the zero-rated application(s) would infringe Article 3(3) first (and third) subparagraph (see paragraph 55).

 

Portanto, o que não estavam a cumprir era o 41, o qual agora estão a cumprir.

 

https://berec.europa.eu/eng/document_register/subject_matter/berec/regulatory_best_practices/guideli...

Mostrar mais
Novo Utilizador
"Criteria that NRAs should take into account when assessing zero-rating and other commercial practices include:

whether the practices circumvent the general aims of the Regulation (to “safeguard equal and non-discriminatory treatment of traffic” and to “guarantee the continued functioning of the internet ecosystem as an engine of innovation”);
the market positions of the ISPs and CAPs involved;
any effects on end-user rights of consumer and business end-users, e.g. reductions in the range of applications available, incentives for end-users to use certain applications, or whether there is a material reduction in end-user choice;
any effects on end-user rights of Content and Application Providers (CAP), e.g. whether there is an effect on the range of content and applications which CAPs can provide, or whether they are materially discouraged from entering the market;
the scale of the practice (e.g. the number of end-users subscribing to such an offer) and the extent to which end-users have access to alternative offers and / or other ISPs."

Exemplo: Tens uma rede social a que lhe vamos chamar Social123. Vodafone aplica zero rating a 1 dos teus concorrentes. Ora, clientes vodafone vao ficar inclinados a usar esse teu concorrente ao invés da tua rede social, simplesmente porque a Vodafone torna mais dispendioso o acesso à tua rede social. Isto é uma violação clara da neutralidade na rede e das politicas de zero rating.
Mostrar mais
Ultra Sábio

O que quer dizer isso é bloquear acesso a outras apps.
Aconselho-te mesmo a ler o documento que está na lateral direita do que postei.
Ninguém faz nada sobre net neutrality na Europa, a única coisa que levam a sério neste momento é zero-rating, o qual está literalmente a ser seguido neste momento pela Vodafone e pela NOS, não sei sobre a MEO.

Vai contra a neutralidade da rede? Claro que sim, sem dúvida, mas NADA contra o zero-rating.

Não há nada claro neste tipo de situações, é por isso que são guidelines e é por isso que teve de ser a ANACOM  a tomar uma decisão final.

36. An ISP may bundle the provision of the IAS with an application. For instance, a mobile
operator may offer free subscription to a music streaming application for a period of
time to all new subscribers (as opposed to commercial practices such as zero-rating,
which is explained in paragraphs 40-43). Where the traffic associated with this
application is not subject to any preferential traffic management practice, and is not
priced differently than the transmission of the rest of the traffic, such commercial
practices are deemed not to limit the exercise of the end-users’ rights granted under
Article 3(1).

37. When assessing agreements or commercial practices, NRAs should also take Article
3(3) into account given that, typically, infringements of Article 3(3) (e.g. technical
practices, such as blocking access to applications or types of applications) will limit the
exercise of the end-users’ rights, and constitute an infringement of Articles 3(2) and
3(1). Details about this assessment can be found in paragraphs 49-93.

Mostrar mais
Novo Utilizador
Eu entendo o que queres dizer mas não interpreto da mesma forma.
No mesmo texto que citaste refere que permitido em campanhas promocionais por um periodo limitado de tempo, mas não como oferta de zero rating comercial. Ou seja, são permitidas campanhas por tempo limitado, basicamente promover serviços, mas não oferecer condições especiais aos mesmos como parte da pferta comercial do tarifário.
Mostrar mais
Ultra Sábio

Essa parte é para apps como o spotify premium ou como agora há apple music no yorn x por tempo limitado.

A parte de apps zero-rating ser permitido está no meu primeiro post.

Seja como for, neste momento tudo está legal, seguem as indicações do BEREC e a imposição da ANACOM para alterarem para dentro das normas.

 

 

Mostrar mais